FPW: Fórum de Pro Wrestling



O FPW, Fórum de Pro Wrestling, é uma comunidade com mais de oito anos constituída por centenas de users cujo o assunto que os liga é o wrestling! Temos os últimos shows, PPV's, passatempos, debates, votações, e ainda uma vasta zona multimédia. Para teres acesso a tudo isto, só necessitas de te registar! Junta-te a nós.

[FM 2017] Quebrar o jejum v2

Página 5 de 13 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Deus em Dom Mar 26 2017, 22:05

bruno paz fica um central do crl
avatar
Deus
TNA World Champion

Masculino Número de Mensagens : 10777
Idade : 21
Localização : lx
Emprego/lazer : famoso no fb
Data de inscrição : 14/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Rafa em Seg Mar 27 2017, 04:07


Novembro de 2017 - Janeiro de 2018:


Podíamos ter garantido o apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões à quarta jornada, frente ao Basileia, mas decidimos fazer merdum. E nem um empate, que era um resultado bastante positivo, conseguimos. Levamos na boca na primeira parte e fomos para o intervalo a perder 2-0. Na segunda parte, quando já arriscávamos tudo, aos 88 minutos, sofremos o terceiro.

Bony acordou para a vida no jogo frente ao Leixões. O jogo previa-se tranquilo e assim foi, graças à veia goleadora do avançado costa-marfinense, que bisou na primeira parte. No segundo tempo, continuamos a dominar o jogo e Coates marcou de cabeça, na sequência de uma bola parada.

Para a Taça, frente ao Arouca, fiz descansar alguns jogadores preponderantes como William e Bony, mas cumprimos na mesma. Logo aos três minutos, Gelson inaugurou o marcador. Acabamos por sofrer um quarto de hora depois mas, na segunda parte, Paulo Oliveira voltou a colocar-nos na frente. Este jogo marcou a estreia de Pedro Silva na equipa A, em jogos oficiais. O guarda-redes ainda teve algum trabalho mas mostrou-se seguro.

Mais uma noite de Champions em Alvalade! Assinamos uma excelente exibição contra o Sparta de Praga. O domínio foi total mas a bola não queria entrar. Apenas aos 68 minutos, de penalty, Adrien conseguiu colocar-nos em vantagem, o que nos deixou mais tranquilos. Mais dois golos foram marcados em dez minutos, por Gelson e Rúben Semedo. Do outro lado, o Basileia foi derrotado pelo Manchester City, o que ditou o nosso apuramento para os oitavos.

Seguiram-se dois jogos para o campeonato, onde as exibições ficaram aquém. Primeiro, fomos surpreendidos em casa pelo Moreirense, que nos derrotou com um golo de Alexandre Guedes, na segunda parte. Inaceitável perder um jogo destes.

De seguida, vencemos o Paços de Ferreira com muitas dificuldades. Foi preciso entrar Castaignos, que não tem sido muito utilizado, para chegar ao golo. O avançado marcou aos 83 minutos após passe de Bony. Neste jogo, perdemos Lucas Lima por lesão.

Pelo meio, uma vitória para a Taça da Liga, com os jogadores menos utilizados, frente ao Académico de Viseu. Pedro Delgado, que marcou o nosso segundo golo, e Elves Baldé foram promovidos da equipa B para este jogo. Ryan Gauld também marcou na vitória por 2-0.

Já apurados para os oitavos-de-final, decidi manter a equipa equilibrada para não sermos
goleados pelo City. Não seria bom para ninguém. Foi o show de Jonathan Silva… pela negativa. Um auto-golo e uma perda de bola proibida foram momentos cruciais na derrota por 3-1. Bony voltou a marcar ao clube a que pertence.

Seguiu-se mais uma derrota, desta vez frente ao Belenenses. Exibição bastante fraca e com azar à mistura. Com o jogo empatado a uma bola, Adrien enviou uma bola à barra e Bony falhou na recarga, já no minuto 90. No lance seguinte, do outro lado da área, o Belenenses faz o 2-1.

A partir daí, entramos numa espiral positiva. A vitória contra o Real Massamá com a presença de alguns jogadores da equipa B deu o mote para uma série de vitórias consecutivas. Vencemos o Braga e o Gil Vicente para a Taça da Liga, o que nos garantiu o apuramento para as meias-finais e vencemos três jogos consecutivos para o campeonato, frente ao Boavista, Académica e Tondela (3-1, 0-1 e 3-0).

Para finalizar, fizemos a melhor exibição da época, frente ao Paços de Ferreira, em jogo a contar para a Taça de Portugal. Pedro Marques, que havia marcado frente ao Tondela, repetiu a titularidade e marcou dois golos e fez uma assistência. Mais tarde, Bony entrou e também marcou. Boa dor de cabeça que tenho aqui. 2-5 foi o resultado final.






Depois da derrota frente ao Belenenses, vencemos para o campeonato por quatro vezes e isso permitiu-nos distanciar-nos dos nossos rivais. Temos agora mais seis pontos do que a lampionagem e mais nove do que o Porto, que tem menos um jogo. Ainda é curto, dado que ainda vamos ao galinheiro e ao Dragão mas estamos no bom caminho.


Na Champions, cumprimos o nosso objetivo de chegar aos oitavos-de-final. As duas vitórias frente ao Sparta de Praga e a vitória caseira frente ao nosso rival direto, Basileia, foram suficientes para garantirmos o apuramento. Segue-se o Manchester United na próxima fase.

Para já, o balanço da época é positivo. Estamos no primeiro lugar, conseguimos o apuramento para os oitavos da Champions e continuamos nas taças internas. O futebol está a ser bem mais atrativo do que na época passada, fruto de uma maior estabilidade tática, adquirida na época passada, e também de um aumento da qualidade individual do plantel. Os putos têm crescido. Orgulho.

Individualmente, Pedro Marques tem dado que falar e já tem números semelhantes ao de Bony, com um número bastante inferior de minutos jogados. Está acesa a luta pela titularidade. Também Ryan Gauld tem ganho um novo estatuto no plantel. A lesão de Lucas Lima fez o escocês dividir a titularidade com Francisco Geraldes nos últimos tempos e tem correspondido.

Maximiliano Romero, avançado argentino, é o nosso novo reforço. Tem 19 anos, chegou a custo zero do Lanús, e vem a pensar no futuro, embora possa ser útil já esta época. Porém, com Pedro Marques num excelente momento e com Bony entre as minhas escolhas, terá de lutar pelo seu espaço.

Com a chegada do argentino, Castaignos, que perdeu espaço esta época, saiu para o Rennes por 1.9M€.
avatar
Rafa
Moderador
Moderador

Masculino Número de Mensagens : 27385
Idade : 23
Localização : Viana do Castelo
Emprego/lazer : Stunned!
Data de inscrição : 28/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Dr. Eira em Seg Mar 27 2017, 20:33

Boas indicações do Pedro Marques.

O Maximiliano Romero tem um belo potencial, boa aquisição.

Até agora tens cumprido com as expectativas.
avatar
Dr. Eira
FPW Hall Of Famer
FPW Hall Of Famer

Masculino Número de Mensagens : 32650
Idade : 25
Localização : Barcelos
Emprego/lazer : Otaku
Data de inscrição : 23/12/2008

http://fpwrestling.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Rafa em Sex Abr 14 2017, 02:24


Janeiro - Fevereiro de 2018:


Não vacilamos frente aos lampiões do norte. Fizemos uma primeira parte com muita qualidade e Pedro Marques, novamente a merecer a minha confiança, inaugurou o marcador logo aos 15 minutos. Adrien fez o segundo cerca de dez minutos depois e estavam fechadas as contas. Na segunda parte, a malta da bancada podia ter dormido um sono que não perdia nada.

Na Taça da Liga, tivemos bastante sorte no sorteio. Escapamos ao Belenenses e ao Vitória de Espanha e calhou-nos o Porto na fava. Tanto eu como o Nunito rodamos ligeiramente a equipa mas acabou por ser um jogo interessante. Pedro Marques marcou o golo para o nosso lado mas o Porto viria a empatar no segundo tempo. O jogo foi a penalties e aí não vacilamos. Marcamos todos e seguimos em frente.

Seguiu-se a final da Taça da Liga, frente ao Belenenses. O Sporting nunca tinha vencido a Taça da Liga, portanto, estava na altura de fazer história. Continuei a deixar de fora alguns jogadores importantes como William, Lucas Lima, Adrien e Rui Patrício, que, neste plantel, são uns veteranos de gema. Logo aos 5 minutos, tivemos a oportunidade para inaugurar o marcador mas Pedro Ferreira falhou uma grande penalidade. O jogo era largamente controlado por nós e o golo acaba por surgir já perto do intervalo, por Ryan Gauld. A segunda parte abriu como terminou a primeira, com mais um golo. Desta vez, foi Pedro Marques a marcar. O Belenenses acabaria por reduzir aos 50 minutos mas não mais voltou a fazer mossa. Segundo troféu da época conquistado. Siga!

De regresso à realidade do campeonato, recebemos o Vitória do Sado num jogo em que fizemos questão de encurtar a história. Pedro Marques, mais uma vez, voltou a ser o protagonista com dois golos nos primeiros 15 minutos que ditaram o resultado final. Com um calendário apertado, fizemos alguma gestão de esforço no segundo tempo. Grande momento que atravessávamos. Nós e o nosso menino, que nem deixava Bony calçar.

Contra o Nacional, voltamos a entrar bem e, mais uma vez, o nosso menino de ouro, Pedro Marques, voltou a marcar. Desta vez, só precisou de dois minutos. Gelson Martins ampliou a vantagem aos 13 e nem o golo de Salvador Agra aos 18 minutos fez a equipa ficar nervosa. Ainda no primeiro tempo, Matheus Pereira também fez o gosto ao pé. No segundo tempo, foi Rúben Semedo a marcar e na última meia hora limitámo-nos a gerir os acontecimentos, tendo em conta o enorme desgaste que aí vem (vamos jogar dentro de pouco tempo com Porto, Benfica e Manchester United de seguida).

Antes dos jogos com os rivais, ainda fomos à Amoreira para enfrentar o último classificado do campeonato, o Estoril. Sabíamos que se esta canalha andasse a pensar nos jogos com os rivais, a coisa ia correr mal. A verdade é que o jogo não nos correu de feição e lá ia a nossa senda de vitórias consecutivas pelo cano abaixo. Porém, aos 93 minutos, Pedro Marques saca um cruzamento da direita e Bony, que entrou para jogarmos com dois avançados, cabeceou para o fundo da baliza. ESTA FOI À RAFA CRL!




Mais quatro jogos para o campeonato, mais quatro vitórias. Já lá vão oito consecutivas para a liga, o que nos deixa numa posição confortável. Apesar da vantagem que temos, os próximos dois jogos, no Dragão e no galinheiro, vão ser cruciais. Pelo meio, temos a primeira mão dois oitavos da Champions contra o United. Provas de fogo para a miudagem.
avatar
Rafa
Moderador
Moderador

Masculino Número de Mensagens : 27385
Idade : 23
Localização : Viana do Castelo
Emprego/lazer : Stunned!
Data de inscrição : 28/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Rafa em Sab Abr 15 2017, 02:06


Fevereiro - Março de 2018:


Começamos a série de jogos com alerta vermelho no Dragão. A tripeirada estava sem Maxi Pereira e Alex Telles, por isso a defesa deles estaria, teoricamente, debilitada. Entramos completamente pressionantes e, aos 20 minutos, Gelson Martins marcou um golo, na sequência de um canto e de um passe de Rúben Semedo. Íamos atacando pela certa e o jogo ia sendo controlado por nós. A meio da segunda parte, tivemos uma ligeira quebra e o Porto tentou aproveitar. Sem sucesso. Mais uma vitória para o nosso lado. Três vitórias em três jogos em Clássicos e um passo de gigante rumo ao título (O Benfica perdeu em Arouca).

Sabem aquele árbitro turco que só faz borrada nos jogos da Champions? Pronto, foi esse o árbitro do nosso jogo em casa frente ao Manchester United. Já sabia que ia ser a real roubalheira e começou bem cedo. Logo aos 4 minutos, penalty para o United, cometido por Bruno Paz, e Ibrahimovic converteu. Num jogo em que não pude contar com William, suspenso, mantive-me fiel às minhas ideias mas, dado o massacre que estava a levar, achei que não seria má ideia deixar de pensar que estava a jogar contra um Tondela da vida e adotei uma postura de contra-ataque. Estanquei o poderoso United dos primeiros 10 minutos e acabei por chegar ao golo, aos 18, por Bony. Apostei no costa-marfinense, que já se tinha dado bem nos jogos contra o Manchester City, e acabou por resultar.

Aos 33 minutos, Rúben Semedo é expulso só por ter feito uma entrada a pés juntos sobre Ibrahimovic. Desta decisão incompreensível, resultou uma mudança na abordagem ao jogo. Tínhamos de defender o empate e ir com esperanças num bom resultado, em Old Trafford. A muralha acabou por quebrar, aos 67 minutos, por Herrera, e, mais tarde, aos 78, por Mata. 1-3 foi o resultado final. Estamos fodidos.

Vencendo ou até empatando na Luz, sabíamos que a questão do título ficava praticamente arrumada. O início do derby foi elétrico. Tivemos sorte aos 3 minutos, com Lindelof a marcar um golo para o nosso lado. Tive de lhe explicar, no final do jogo, que estamos bem servidos, no que toca a avançados e que esse golo não foi suficiente para me convencer.

Muita piada e tal mas o resto da primeira parte foi um desastre. Em meia hora, sofremos quatro golos sem resposta. Era a humilhação. Demasiado tarde para responder na segunda parte. Pedro Marques ainda reduziu a desvantagem aos 81 minutos, mas foi só.

Frente ao Rio Ave, em jogo a contar para a primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, fiz descansar alguns dos jogadores mais desgastados deste ciclo de jogos. Se as coisas corressem mal, sempre tinha o jogo em Alvalade para remediar. Maximiliano Romero fez o seu primeiro jogo como titular ao serviço do Sporting e inaugurou o marcador aos 23 minutos. O jogo foi, desde então, amorfo e acabamos por conceder o empate, aos 73 minutos. Já perto do final do jogo, Jefferson colocou-nos em vantagem novamente, depois de um cruzamento de André Geraldes. O jogo marcou também o regresso de Lincoln, que estava lesionado desde outubro.

Vá crl, tínhamos de parar de ser gatinhos e voltar a ser leões. Recebemos o Lito Vidigal, baixamos-lhes as calças e pusemo-lo de 4 em pleno Alvalade. Logo aos três minutos, Pedro Marques inaugurou o marcador depois de um livre à barra de Iuri Medeiros. Gelson foi por ali fora, aos 37 minutos, passou por toda a gente e fez o 2-0 e na segunda parte foi Jefferson, de livre direto, a marcar. Boa exibição que originou uma vitória fácil.

Ainda cheio de esperanças de passar aos quartos da Champions, voltei a fazer descansar algumas das estrelas da companhia no jogo com o Rio Ave. Jogamos “muita poucachinho” mas conseguimos vencer com um golo aos 81 minutos, de Lincoln. De realçar a estratégia da lampionagem ao terem posto Petit a treinar o Rio Ave na semana que antecedeu o jogo. Pouca vergonha mas contra tudo e contra todos, continuamos no topo.

E lá fomos nós a Old Trafford tentar o milagre. Voltei a lançar Bony, que se espuma todo nestes jogos, e o homem voltou a ser importante. Primeiro, lançou Gelson para o nosso primeiro golo, aos 11 minutos, e oito minutos depois, foi o próprio a antecipar-se aos defesas do United e a lançar um contra-ataque individual que originou o segundo golo. Incrível. Estávamos na luta. Foi sol de pouca dura. O United veio para cima e deu a volta ao jogo, ainda antes do intervalo. Primeiro, foi Smalling e depois Ibrahimovic bisou, sendo um dos golos de penalty. Na segunda parte, ainda tentamos mas fomos impotentes. Boa réplica. Não fossem os lances azarados da primeira mão e a história podia ter sido outra.




A derrota com o Benfica não nos deitou abaixo e nem sequer nos fez mossa nas contas do título. Levamos 11 pontos de avanço em relação aos lamps e 13 em relação aos corruptos.
Mais tarde ou mais cedo, seremos bicampeões

Individualmente, há que destacar o bom momento que Gelson Martins tem vindo a atravessar bem como Wilfried Bony, que perdeu o lugar a titular, ao longo da época, para um miúdo mas que tem vindo a ser importante em diversos jogos. Quanto ao costa-marfinense, apesar do bom momento, deverá começar também a perder o lugar para Maximiliano Romero, com vista a preparar a próxima época.

Após termos passado por algumas lesões complicadas, como foi o caso de Lincoln e Lucas Lima, bem como as paragens de Francisco Geraldes e Matheus Pereira, o plantel está agora na máxima força, à exceção de Paulo Oliveira, que continua com uma perna partida.
avatar
Rafa
Moderador
Moderador

Masculino Número de Mensagens : 27385
Idade : 23
Localização : Viana do Castelo
Emprego/lazer : Stunned!
Data de inscrição : 28/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Rafa em Ter Abr 18 2017, 17:49

[quote="Rafa"]

Março - Maio de 2018:


O Vitória de Espanha tem andado abaixo das expetativas esta época e anda à procura de novo treinador. Enquanto fazem essa transição, nós vamos espalhando a nossa magia e conseguimos controlar o jogo do princípio ao fim. Os golos, porém, tardaram em aparecer. Só aos 53 minutos é que Adrien desbloqueou o jogo após uma boa assistência de Pedro Marques. Poucos minutos depois, Lucas Lima faz um passe soberbo para Gelson, que matou a partida. Na última meia hora, baixamos o ritmo e limitamo-nos a gerir os acontecimentos.

Contra o Paços de Ferreira, 20 minutos foram suficientes para arrumar com o encontro. Logo aos 10, Adrien inaugurou o marcador e pouco depois Rúben Semedo bisou, após jogadas iniciadas em lances de bola parada. Podíamos partir para uma goleada avassaladora mas na verdade não marcamos mais. Até sofremos, na segunda parte. 3-1 foi o resultado final.

No meu jogo 100 enquanto treinador do Sporting, enfrentamos o Rio Ave na 2ª mão das meias-finais da Taça. Mais uma vez, voltamos a entrar fortes com Iuri Medeiros a dar show. Primeiro, assistiu Pedro Marques para o primeiro golo e depois arrancou um penalty, também ele convertido por Pedro Marques. O puto Iuri ainda mandou uma bola ao ferro, num livre direto mas, mais uma vez, os nossos golos voltaram a ser marcados apenas no início. E nem é preciso mais. Segue-se o Porto na final. Que não a percamos, desta vez.

Voltando ao campeonato, a minha equipa achou que isto para dar a real pica, o ideal era perder com o Leixões. E se o jogo ganhasse contornos de desastre, ainda seria melhor. Assim foi. Fomos a perder ao intervalo, em Matosinhos, por 1-0 e continuamos a ser completamente inoperantes na segunda parte. Em desespero, não marcamos mas sofremos. E logo dois golos. 3-0 foi o resultado final. Até nas derrotas dou espetáculo.

O que vale é que a seguir fizemos um jogaço frente ao Moreirense. Só que não. O Iuri Medeiros marcou o nosso golo, na primeira parte, e de bom futebol pouco mais há para contar. Estávamos a uma vitória do título.

O jogo do título gerou o maior cabaz da época. Alvalade estava cheio pronto para ver o Sporting novamente campeão. Adrien abriu as hostes, de grande penalidade, aos 16 minutos e a partir daí, com a equipa super confiante, foi cada tiro, cada melro. Primeiro, foi Jonathan Silva, a seguir foi Coates que foi lá à frente mandar um tiro fora de área. Estavam três na primeira parte. No segundo tempo, foi Rúben Semedo. Dois lances de bola parada, dois cabeceamentos, dois golos. Para acabar em beleza, aos 89 minutos, Ryan Gauld, a 25 metros da baliza, rematou sem dar hipótese a Ventura. 6-0. Somos bicampeões.

Já campeões, pus-me a experimentar novas dinâmicas no meio-campo já a preparar a próxima época. Sou um treinador do caralhete. Fizemos um bom jogo com Maximiliano Romero, a quem dei a titularidade pela segunda vez no campeonato, a marcar o golo inaugural. Aos 77 minutos, Coates, dentro da área, cabeceia para o 2-0. Foram dois mas podiam ter sido mais.

Seguiu-se o Feirense, que precisava de nos vencer para continuar a sonhar com a permanência. Como somos defensores da verdade desportiva, ao intervalo já levavam três batatas. Rúben Semedo, Lincoln e Adrien foram os marcadores. O capitão acabou por bisar, de grande penalidade, na segunda parte. A equipa relaxou, o Feirense marcou dois golos de rajada e Matheus teve de responder com o quinto golo. Até á próxima, Feirense. Esta nova brincadeira que ando a fazer, de soltar mais quem joga a 6, mesmo que o 8 esteja mais preso parece fazer a equipa quebrar um bocadinho, defensivamente. Mas já tinha tirado o William do jogo quando sofri os dois golos. Não há-de ser nada.

Acabamos o campeonato frente ao Tondela, o outro despromovido da época. Dominamos uma equipa destruída psicologicamente, que mais ficou depois do golo de Matheus Pereira, logo aos cinco minutos. No segundo tempo, Adrien, de penalty, ampliou a vantagem.




Bicampeões. É preciso recuar à época de 1951/52 para encontrar a última vez que o Sporting conseguiu tal feito. Fizemos um campeonato superior ao da época passada, tanto a nível pontual como exibicional. Fizemos mais cinco pontos e marcamos mais 19 golos. Sofremos,
porém, mais quatro golos (as derrotas com o Leixões e com o Benfica fizeram mais de um terço dos golos sofridos). Em casa, tivemos um registo praticamente imaculado com 16 vitórias e uma derrota.

Acabou por ser um campeonato conquistado com facilidade. O Porto e o Benfica estiveram sempre a uma distância considerável da nossa equipa a partir da segunda volta e nós mostramos sempre regularidade. Para o ano há mais.


A Taça de Portugal era o troféu que me faltava. Para chegar lá, tínhamos de passar pelo Porto, o que seria mais um dia normal para a nossa equipa. Dominamos claramente a primeira parte (o Porto fez apenas um remate), tendo os corruptos mostrado algo mais na segunda parte, que foi mais equilibrada. Acabei por mexer mal na equipa, ao tirar Pedro Marques, que não estava a ter um jogo feliz no que toca à finalização mas que estava bastante ativo, para colocar Bony e a equipa ressentiu-se. O jogo acabou 0-0 e foi para prolongamento, onde se manteve o mesmo resultado. Depois da época passada, onde perdemos nos penalties para o Rio Ave, tudo o que eu não queria era isto. Porém, foi a noite de Rui Patrício, que defendeu três pontapés. Estava ganha a Taça e o quarto troféu da época.


As estatísticas do plantel mostram que tentei dar tempo de jogo a toda a gente e que quase todos corresponderam com qualidade.

Na baliza, Rui Patrício foi, evidentemente, o nosso titular. Pedro Silva foi o homem das taças (e fez 1 jogo no campeonato para ser campeão), tendo Beto, que se vai retirar no final da época jogado alguns jogos na primeira volta, após uma lesão de Rui Patrício.

Mais à frente, Jefferson e Mayke voltaram a corresponder. Jonathan Silva também teve bastante tempo de jogo. André Geraldes nem tanto mas sempre que jogou, cumpriu. Já no eixo da defesa,
Coates e Rúben Semedo foram novamente uma excelente dupla. Bruno Paz aproveitou o facto de Paulo Oliveira ter partido a perna para se assumir como o terceiro central, tendo também acumulado minutos como médio defensivo.

No meio-campo, William e Adrien foram, como seria de esperar, peças fulcrais no motor da equipa. E que época do nosso capitão, com 14 golos marcados. Oito foram de penalty, ok, mas marcou-os todos. Fez ainda oito assistências. Ryan Gauld e Lucas Lima acabaram a época a disputar a posição mais avançada do meio-campo. Francisco Geraldez fez uma primeira volta muito boa, mas teve menos oportunidades na segunda metade da época. Pedro Ferreira foi o médio menos utilizado mas fez, ainda assim, 31 jogos, 14 deles como titular. Fantástico para alguém que cumpriu a sua primeira época na equipa A.

Nas alas, tive alguns problemas. Lincoln esteve demasiado tempo parada e ainda não conseguiu render aquilo que espero dele. Por outro lado, Gelson Martins fez uma época soberba depois de uma temporada difícil, com lesões complicadas. Iuri Medeiros apresentou um rendimento superior a Matheus mas ambos fizeram boas épocas.

No ataque, como já tinha dito, Pedro Marques roubou o lugar ao experiente Bony a meio da temporada e partiu para uma época com excelentes números para quem fez a sua primeira época como sénior. Maximiliano Romero passou por seis meses de adaptação, tendo feito mais minutos na equipa B. Na próxima época, já vai discutir a titularidade com Pedro Marques e até acredito que passe a ser titular, tendo em conta o seu potencial.

Tenho mais um ano de contrato e, evidentemente, é para cumpri-lo. Quero chegar ao tri,
continuar a fazer evoluir estes miúdos e outros que estão para vir. Na Europa, com mais maturidade, podemos também chegar mais longe, dependendo da sorte que tivermos nos sorteios.

Aqui ficam os vencedores das competições europeias e dos outros campeonatos, a título de curiosidade:
Liga dos Campeões: PSG (1-0 vs Tottenham)
Liga Europa: Chelsea (4-2 vs Inter)
Bundesliga: Bayern Munique
La Liga: Real Madrid
Ligue 1: PSG
Premier League: Manchester United
Serie A: Juventus
avatar
Rafa
Moderador
Moderador

Masculino Número de Mensagens : 27385
Idade : 23
Localização : Viana do Castelo
Emprego/lazer : Stunned!
Data de inscrição : 28/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Deus em Qua Abr 19 2017, 10:51

o teu fm é uma cagada, eu com o SCP ou faço 90 pontos ou fico em segundo ou terceiro
avatar
Deus
TNA World Champion

Masculino Número de Mensagens : 10777
Idade : 21
Localização : lx
Emprego/lazer : famoso no fb
Data de inscrição : 14/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Dr. Eira em Qua Abr 19 2017, 20:21

Um excelente final de época, vamos ver se consegues manter os principais jogadores como o Gelson, Semedo, Coates, William.
avatar
Dr. Eira
FPW Hall Of Famer
FPW Hall Of Famer

Masculino Número de Mensagens : 32650
Idade : 25
Localização : Barcelos
Emprego/lazer : Otaku
Data de inscrição : 23/12/2008

http://fpwrestling.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Rafa em Sab Abr 22 2017, 03:01


2018/2019 - Agora é para o tri:

A festa do bi já lá vai e agora está na hora de preparar o assalto ao tricampeonato. Depois de ter renovado o plantel com a prata da casa na segunda época, o objetivo agora era manter o grupo coeso. Com as finanças equilibradas, a ideia passava por vender apenas quem quisesse sair e contratar para substituir, caso não houvesse em casa.

Com muita pena minha, Rui Patrício foi o homem que me pediu para abandonar o Sporting, rumo ao Manchester City. 30 milhões foi o preço batido pelos citizens. Foi bom para todos. Apenas consegui colmatar a sua saída no último dia de mercado, com a contratação de Stéphane Ruffier ao Saint-Étienne. Com 31 anos, o internacional francês pediu para sair da sua equipa e consegui ir buscá-lo por 5 milhões. Apesar de já ter alguma veterania, ainda lhe prevejo alguma importância até para continuar a fazer evoluir o Pedro Silva.

De resto, foi só despachar quem não entrava nas contas do meu plantel. Spalvis, Bruno Paulista, Podence, Mané, Palhinha e André Geraldes foram alguns dos nomes que seguiram para outras paragens. Miguel Luís e Leandro Tipote, jogadores em que deposito esperanças para o futuro, foram emprestados ao Moreirense.

Ruffier foi mesmo a única contratação para a equipa A. De resto, contratei três miúdos para preparar o futuro e que vão andar entre a equipa B e os juniores: Luís Navio, defesa central, Miguel Silva, médio centro, e Rúben Branco, avançado.

A destacar ainda o caso de Rúben Semedo. O gajo queria sair mas ninguém dava o que eu queria por ele. Ainda o tentei vender em saldos no último dia do mercado ao Arsenal mas o acordo não foi feito a tempo. Acabou por ser vendido ao Nápoles mas só sai em Janeiro. Até lá, fica a treinar comigo mas pode esperar, literalmente, sentado por uma oportunidade para jogar. Entretanto, o plantel está chateado comigo por não o ter deixado sair quando ele quis.

João Oliveira, lateral-direito, Miguel Lopes, defesa central, e Daniel Bragança, médio defensivo, foram promovidos à equipa A. Os dois primeiros queriam sair por empréstimo e são mais duas estrelas amuadas no grupo. Quando lhes der minutos, pode ser que lhes passe. Já o Bragança vai ser um jogador do crl.

Fica então o plantel completo.

Guarda-redes:
Stéphane Ruffier
Pedro Silva

Defesas:
Mayke
João Oliveira
Sebastian Coates
Rúben Semedo
Paulo Oliveira
Bruno Paz
Miguel Lopes
Jefferson
Jonathan Silva

Médios:
William Carvalho
Daniel Bragança
Adrien Silva
Lucas Lima
Pedro Ferreira
Francisco Geraldes
Ryan Gauld

Extremos:
Gelson Martins
Lincoln
Iuri Medeiros
Matheus Pereira

Avançados:
Pedro Marques
Maximiliano Romero


Na pré-época, limitei-me a dizer ao meu adjunto quem queria a jogar. Sou demasiado bom para amigáveis. O homem portou-se bem sem mim.
avatar
Rafa
Moderador
Moderador

Masculino Número de Mensagens : 27385
Idade : 23
Localização : Viana do Castelo
Emprego/lazer : Stunned!
Data de inscrição : 28/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Dr. Eira em Sab Abr 22 2017, 17:36

Pensei que ias te reforçar melhor... Acho que tens poucas opções para PL e mesmos os extremos em caso de lesão podes ter dores de cabeça.

O Hirving Lozano já foi contratado por um tubarão? Eu consegui contratá-lo por uma valor razoável, alto craque.
avatar
Dr. Eira
FPW Hall Of Famer
FPW Hall Of Famer

Masculino Número de Mensagens : 32650
Idade : 25
Localização : Barcelos
Emprego/lazer : Otaku
Data de inscrição : 23/12/2008

http://fpwrestling.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FM 2017] Quebrar o jejum v2

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 13 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum